NOSSA HISTÓRIA

Transformando uma ideia de música em sucessos de streaming

Em 2006 Pedro Angi se propôs o desafio de produzir em casa, no seu quarto, o primeiro álbum de sua banda (CULTIVO). Intitulado 'Árvore Urbana', o álbum agradou muito o público do Roots Reggae brasileiro e se espalhou rapidamente, alcançando dezenas de milhares de pessoas.
Devido ao equipamento extremamente simples com o qual foi produzido, surgiu o nome Quebrando Records. De lá pra cá Pedro Angi continuou produzindo seus próprios discos: Orgânico (Cultivo- 2008), Pedrada Acústico (2013), A Vida Que Eu Sempre Quis (Angatu-2014) e Somos Todos Um (2018).
No ínicio de 2019 Pedro Angi entrou em um processo intensivo de estudo de mixagem e das platafomras digitais, e se abriu para produzir e distribuir músicas de outros artistas. O primeiro resultado significativo veio com a distribuição do single Galena, uma parceria com a banda Sattivus que já ultrapassa 550mil streams no Spotify. A primeira produção totalmente independente pelo selo, 'Barulho do Mar', lançado em setembro de 2019 ja conta com mais de 230 mil streams no Spotify. Como distribuidora, Quebrando Records conseguiu bons posicionamentos em playlists também para 'Arara Azul' de Daniel Angi, contando com mais de 120 mil streams no Spotify.
Todo esse trabalho chamou a atenção do selo Sound System Brazil que hoje atua como parceiro na distribuição de alguns artistas.
O time de parceiros na área musical (músicos, produtores, engenheiros de áudio e estúdio) está em faze de crescimento e, em breve, novas possibilidades estarão disponíveis.
Atualmente 15 artistas integram o selo, somando mais de 150 mil streams mensais nas plataformas digitais. (Agosto de 2020)